Quem for até Recife não deve deixar de visitar o Paço do Frevo, um belo e bem montado centro cultural dedicado ao ritmo pernambucano. Inaugurado em fevereiro de 2014, o paço ocupa quatro pavimentos de um imponente casarão branco no centro do Recife, e que abrigou um dia a Western Telegraph Company, responsável pela implantação do telégrafo no país. O edifício permaneceu fechado por 36 anos e está agora restaurado.

Naturalmente, todas as atrações do espaço estão ligadas ao frevo e à sua história – a começar pela visita ser feita ao som de frevo das mais diversas épocas e vertentes. Há desde painéis históricos em português e inglês com a história desse ritmo/dança (que começa em 1900) até arenas para shows, estandartes de 54 agremiações pernambucanas em vitrines, e salas para aulas de dança e música e áreas para oficinas de cenários e figurinos.

“Esse é um espaço para fazer a celebração do frevo como algo de Pernambuco, mas voltado para o Brasil e o mundo”, disse Hugo Barreto, diretor-geral da Fundação Roberto Marinho, parceira da Prefeitura do Recife na concepção do Paço do Frevo. O espaço exigiu um investimento de R$ 13,2 milhões, cinco anos de pesquisa e outros quatro anos de trabalho de reforma e restauração do casarão.

Segundo a responsável pela museografia do paço, a teatróloga Bia Lessa, apesar de contar a história do frevo, o didatismo não é o principal objetivo do centro cultural: “A ideia foi só dar uma pincelada histórica, permitindo que cada um possa ter sua interpretação, mas principalmente apresentar o frevo como uma coisa viva, dinâmica, atual”.

Serviço

Paço do Frevo – Praça do Arsenal da Marinha, s/n, Bairro do Recife, Recife,PE, tel: (81) 3355-9500. Terça a sexta, das 9h00 às 16h30, sábados e domingos das 14h às 17h30. Ingressos: R$ 8 e R$ 4 (meia-entrada). A entrada é grátis para menores de 5 anos, alunos e professores da rede pública e outras categorias. Confira em: www.pacodofrevo.org.br.